Festival Estadual SESI Música
Prêmios variam entre R$ 6 e 3 mil (Foto: Divulgação)
Os interessados em participar da 8ª edição do Festival Estadual SESI Música têm até o dia 29 de agosto, próxima segunda-feira, para se inscrever. Com o objetivo de revelar os talentos da boa música que integram a indústria mineira e investir em qualidade de vida para o trabalhador, o Festival está dividido em duas categorias – "Música inédita", para novas composições, e "Interpretação", para cantores e/ou cantoras de qualquer estilo musical. São convidados a se inscrever industriários, empresários da indústria e dependentes diretos destes (filhos e cônjuges). Todas as informações sobre as inscrições estão disponíveis no site: www.fiemg.com.br/sesi.

Com envolvimento cada vez mais presente das indústrias mineiras e de seus colaboradores em suas edições, o Festival Estadual SESI Música busca promover a cultura entre trabalhadores das indústrias, valorizando e fomentando a produção musical de Minas Gerais e do Brasil. "Nossas pesquisas comprovam que um trabalhador que se envolve nas manifestações e produções culturais aumenta a produtividade e a vontade de trabalhar, diminui o absenteísmo e contribui para um melhor clima no ambiente de trabalho", comenta o Gerente de Cultura do SESI-MG, Thiago Maia.

Cada categoria do Festival conta com três premiações, nos valores de R$6.000, para o primeiro lugar, R$4.000, para o segundo, e R$3.000, para o terceiro. Podem se inscrever trabalhadores das indústrias do estado de Minas Gerais e seus dependentes diretos (filhos/cônjuges), maiores de 16 anos. Os interessados devem fazer uma gravação em áudio (CD ou DVD) da música que pretendam inscrever no Festival, em uma das duas categorias. Cada candidato só poderá se inscrever em apenas uma categoria com apenas uma música. Em seguida, o participante deverá providenciar os documentos solicitados pelo regulamento. Todas as informações detalhadas, como ficha de inscrição e regulamento completo estão disponíveis na página www.fiemg.com.br/sesi.

Vencedor na categoria "Interpretação" na edição 2015 do Festival, João Victor Chaves, da Minas Brasil Indústria e Comércio de Móveis, de Contagem, destaca a importância da premiação em sua trajetória musical, atividade que ele já realizava em bares e festas: "Havia tantos candidatos bons, nem imaginei que poderia ser o vencedor. Quando ouvi meu nome, nem acreditei, foi um reconhecimento do meu trabalho que só o Festival poderia proporcionar". Na categoria "Música Inédita" da edição passada, a vencedora foi Janaína Gentil, da empresa Rio Branco Alimentos, de Leopoldina, com a música "Mulher de Batalha", em que a compositora relata sua própria luta diária: "Escrevi sobre mim, sobre minha experiência. Ganhar o prêmio por algo que criei foi muito emocionante", define.

SESI Música
Realizado anualmente desde 2009 pelo Serviço Social da Indústria – SESI, o Festival SESI Música é um concurso que busca a promoção da cultura entre trabalhadores das indústrias, valorizando e fomentando a produção musical do país. Centenas de industriários ou familiares já participaram do Festival, demonstrando que, para o Sistema FIEMG, cultura é investimento.

Serviço Social da Indústria – SESI
Criado em 1946, o SESI é a principal parceria da indústria na inclusão social de seus funcionários e oferece programas e serviços para elevar a qualidade de vida de trabalhadores e de seus familiares. A entidade é um agente transformador, referência em responsabilidade social e uma ferramenta indispensável para a difusão da cidadania, criando e promovendo programas que investem no aumento da qualidade de vida dos trabalhadores da indústria e de seus familiares. As ações realizadas pelas áreas de Cultura, Educação, Esporte, Saúde e Responsabilidade Social Empresarial garantem uma estrutura que oferece suporte para o crescimento orgânico da produção industrial com responsabilidade, segurança e competitividade.

Serviço
Inscrições abertas para o 8º Festival Estadual SESI Música 2016
Até 29 de agosto
Categorias: Música Inédita e Interpretação
Premiação: R$6.000 (1º lugar), R$4.000 (2º lugar) e R$3.000 (3º lugar) para cada categoria
Podem se inscrever trabalhadores das indústrias do estado de Minas Gerais e seus dependentes diretos (filhos/cônjuges), maiores de 16 anos
Ficha de inscrição e regulamento completo no site: www.fiemg.com.br/sesi.

IFNMG divulga processos de seleção de alunos para 1.515 vagas em cursos técnicos e superiores gratuitos
Oportunidades são para Almenara, Araçuaí, Arinos, Diamantina, Janaúba, Januária, Montes Claros, Pirapora, Porteirinha, Salinas e Teófilo Otoni (Foto: Reprodução)

O Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) vai iniciar no dia 5 de setembro as inscrições para as seleções de alunos que vão ingressar no primeiro semestre de 2017 em cursos técnicos e superiores presenciais e gratuitos. No total, são 1.515 vagas. Os editais do Processo Seletivo (para cursos técnicos) e Vestibular (para cursos superiores) foram publicados na última sexta-feira, dia 22.

Os campi Almenara, Araçuaí, Arinos, Januária, Montes Claros, Pirapora e Salinas oferecem vagas de nível superior e técnico. Já os campi Janaúba, Teófilo Otoni, Diamantina e Porteirinha possuem vagas apenas para os cursos técnicos.

Com relação aos cursos técnicos, há diferentes modalidades. Nos cursos da modalidade integrado, o aluno, com apenas uma matrícula, cursa o ensino médio e o técnico ao mesmo tempo, no IFNMG. A modalidade concomitante/subsequente é para que o aluno faça no IFNMG apenas o curso técnico, portanto, ele já deve estar no 2º ou o 3º ano do ensino médio em outra escola ou já ter concluído o 3º ano.

Inscrições

As inscrições acontecerão de 5 de setembro a 27 de outubro, no portal eletrônico www.ifnmg.edu.br. A taxa será de R$ 15,00 para o Processo Seletivo e R$ 35,00 para o Vestibular. A isenção desses valores poderá ser solicitada entre os dias 5 e 23 de setembro.

Tanto para o Processo Seletivo quanto para o Vestibular, vale o sistema de reserva de vagas, conhecido como sistema de cotas. O IFNMG reserva vagas para estudantes vindos de escolas públicas, parte delas para candidatos de baixa renda e autodeclarados pretos, pardos e indígenas, e também para pessoas com deficiência.

Cursos superiores

Por meio do Vestibular (Edital nº 320/2016), o IFNMG oferta vagas para os seguintes cursos superiores:

- Campus Almenara: Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Processos Gerenciais e Engenharia Agronômica;
- Campus Araçuaí: Administração, Tecnologia em Gestão Ambiental e Análise e Desenvolvimento de Sistemas;
- Campus Arinos: Engenharia Agronômica, Administração e Sistemas de Informação;
- Campus Montes Claros: Ciência da Computação e Engenharia Química;
- Campus Salinas: Engenharia de Alimentos, Ciências Biológicas, Química, Medicina Veterinária, Engenharia Florestal, Física, Matemática e Produção de Cachaça.

A prova será aplicada em 27 de novembro. No turno da manhã, os candidatos farão prova de 30 questões de múltipla escolha e uma redação. Na prova objetiva, serão cobrados os seguintes conteúdos: língua estrangeira, língua portuguesa e literatura brasileira.

Para esta última, os candidatos terão que ler três livros - "Tenda dos milagres", do escritor Jorge Amado; "Bom Crioulo", de Adolfo Caminha; "Dez Violinos Marinhos e uma Guitarra de Sal", de Sandra Fonseca – e assistir a um filme - "Que horas ela volta", com direção e roteiro de Anna Muylaert.

No turno vespertino, os candidatos farão uma prova com 20 questões de múltipla escolha, cujos conhecimentos abrangerão conteúdos de matérias específicas, de acordo com o curso escolhido.

Cursos técnicos integrados

Por meio do Edital nº 321/2016, o Processo Seletivo oferta vagas para os seguintes cursos técnicos integrados ao ensino médio:

- Campus Almenara: Agropecuária, Informática e Zootecnia;
- Campus Araçuaí: Informática, Meio Ambiente, Agroecologia e Agrimensura;
- Campus Arinos: Agropecuária, Informática e Meio Ambiente;
- Campus Avançado Janaúba: Informática para a Internet;
- Campus Januária: Agropecuária, Meio Ambiente e Informática para a Internet;
- Campus Montes Claros: Química e Informática;
- Campus Pirapora: Edificações e Informática;
- Campus Salinas: Agropecuária, Agroindústria e Informática;
- Campus Teófilo Otoni: Informática para a Internet.

Os candidatos farão prova no dia 4 de dezembro, sendo 30 questões de múltipla escolha, contemplando as quatro grandes áreas do conhecimento: língua portuguesa, matemática, ciências naturais e ciências humanas.

Cursos técnicos concomitantes e/ou subsequentes

Por meio do Edital nº 322/2016, o Processo Seletivo IFNMG oferta vagas para os seguintes cursos técnicos nas modalidades concomitante e/ou subsequente ao ensino médio:

- Campus Almenara: Enfermagem;
-Campus Araçuaí: Enfermagem;
- Campus Arinos: Manutenção e Suporte em Informática;
- Campus Diamantina: Informática e Meio Ambiente;
- Campus Avançado Janaúba: Administração;
- Campus Januária: Enfermagem, Manutenção e Suporte em Informática, Edificações;
- Campus Montes Claros: Eletrotécnica e Segurança do Trabalho;
- Campus Pirapora: Segurança do Trabalho, Administração e Informática;
- Campus Avançado Porteirinha: Informática para a Internet.

A prova será no dia 4 de dezembro, com 20 questões de múltipla escolha, contemplando os conteúdos de língua portuguesa e matemática.

Para mais informações, consulte os editais em www.ifnmg.edu.br/selecao-de-alunos.

MPT destina verba para conclusão do abatedouro de Jequitinhonha
"Novo matadouro municipal, estar em conformidade com às normas de saúde e segurança no trabalho" diz a procuradora Elaine Nassif (Foto: Divulgação/Ascom MPT-MG)

A população da cidade mineira de Jequitinhonha, mais de 25 mil habitantes, terá acesso a carne proveniente de abate feito dentro dos padrões de higiene e segurança prescritos em lei. O novo matadouro municipal, inaugurado no dia 22 de julho, é resultado de ações de diálogo, fiscalização e parceria do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Minas com administrações de pequenos municípios, até 100 mil habitantes, iniciadas em 2013.

"Além de o espaço físico do matadouro de Jequitinhonha estar em conformidade com às normas de saúde e segurança no trabalho, os profissionais foram capacitados para promover o abate sem crueldade. É possível inclusive que municípios vizinhos se beneficiem dos serviços, principalmente se se integrarem em Consórcio", explica a procuradora Elaine Nassif.

De acordo com Elaine Nassif, "o consórcio já é quase um ente federativo intermediário entre o Município e o Estado, e um importante instrumento de gestão para pequenos Municípios (em Minas Gerais, 60% dos 854 Municípios têm menos de 20 mil habitantes) ao cumprimento da legislação, o que de outro modo seria impossível. Um desses exemplos é o cumprimento das normas ambientais naturais e do trabalho, relativa aos matadouros municipais. No caso de Jequitinhonha, o Município estava encontrando dificuldades para cumprir TAC firmado com o MPE, de modo que se entrasse em funcionamento, o seria com ajustes somente na parte do meio ambiente natural, descurando o meio ambiente do trabalho. Nesse sentido, o MPT destinou, no âmbito do Projeto Regional Matadouros, verba de acordo judicial, no valor de R$ 247 mil para a finalização do abatedouro e cumprimento da legislação do trabalho".

Projeto nacional MPT frigoríficos e abatedouros: A entrada em funcionamento deste matadouro é um dos resultados concretos do Projeto Abatedouros e Frigoríficos que teve início em Minas Gerais no ano de 2013, quando uma equipe do MPT foi conhecer de perto mais de 70 matadouros, inclusive o de Jequitinhonha. A realidade era bem parecida na maioria deles: abate clandestino, falta de veterinário, falta de pessoal concursado e treinado para o abate, trabalhadores e usas famílias, inclusive crianças, morando no entorno, falta de higiene, ausência de inspeção sanitária, meio ambiente de trabalho inseguro e insalubre, maus tratos aos animais, poluição de riachos e nascentes, com todo tipo de riscos de contaminação para as populações.

MPT destina verba para conclusão do abatedouro de Jequitinhonha
Antes das ações, local era inseguro e funcionava sem inspeção sanitária (Foto: Divulgação/Ascom MPT-MG)

Depois de uma série de sete audiências públicas foi promovida em regiões do estado, com gestores de pequenos municípios, até 100 mil habitantes, um total de 57 municípios firmaram termo de cooperação técnica assumindo o compromisso de repensar as práticas no setor de abate de animais. Deste total 17 chegaram a uma fase avançada do projeto, fazendo escolhas entre: integrar-se em consórcios já existentes acrescentando o matadouro; fechar o matadouro e permitir somente a venda da carne congelada abatida nos grandes abatedouros e frigoríficos privados ou construir seu próprio matadouro, contratar veterinários e operadores e monitorar as operações.

As ações do projeto incluíram a participação de órgãos públicos estaduais (IMA) e federais (MAP e MTE), em audiências públicas com a presença dos prefeitos e secretários envolvidos no Projeto, além de membros do MP/MG, como no caso de Jequitinhonha. Além de receberem todas as instruções sobre os Matadouros, também receberam sobre a formação e/ou integração aos consórcios.

Além da capacitação de diversos trabalhadores de frigoríficos municipais, foram promovidos concursos para contratar regularmente esses profissionais, inclusive nos Consórcios de Divinópolis/Formiga, de Mar de Espanha, e do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, este último integrado por 23 municípios da região.

Radar do Vale

{picture#https://scontent-mia1-2.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13769549_1121022557968364_5547466374654720935_n.png?oh=1122a365d58ef66a2770b0d10a9db53d&oe=585BC3F1} O Radar do Vale disponibiliza este espaço para sugestões de pautas com temas relacionados ao site. Envie um e-mail para (radardovale@live.com). Por favor respeite e siga nossas regras para participar. {facebook#https://www.facebook.com/rdvonline1} {twitter#https://twitter.com/rdvonline} {google#https://plus.google.com/+RadardovaleBlogspotBr} {youtube#https://www.youtube.com/user/RDVONLINE}
Tecnologia do Blogger.